PROCURAR

12 motivos para você ler o livro "Economia Colaborativa"

1. Economia Colaborativa está no futuro

Segundo projeções da PricewaterhouseCoopers, a Economia Colaborativa (ou compartilhada) deverá movimentar 335 bilhões de dólares em 2025, ante 15 bilhões em 2014. Que tal você começar a se preparar para viver esta realidade?

2. Fundamentos e principais pensadores estão neste livro

Muita gente acha que já sabe tudo sobre Economia Colaborativa, mas será que sabe mesmo?
Aprofundar os conhecimentos nesta área ajuda a lidar melhor com as maravilhas e com as dificuldades que aparecem no cotidiano. 

3. A cultura brasileira é o principal cenário de estudo

Felipe Cunha se dedicou a pesquisar sobre pequenas, médias e grandes empresas, e entrevistou empreendedores, empresários e trabalhadores autônomos, principalmente que atuam no Brasil. Este é o primeiro estudo que foca na cultura brasileira para investigar a Economia Colaborativa que está acontecendo por aqui. 
Você sabe o que está acontecendo por aqui nesta área?

4. Não é ‘economiquês’

Não é um livro de ‘economiquês’. Foi escrito com linguagem acessível, clara e cuidadosa. É um livro para todos compreenderem e assimilarem e que conduz o leitor por novas áreas da ciência como o Pensamento Complexo, a Visão de Sistemas Vivos, Enlivenment e a Teoria Integral. Uma grande oportunidade de ampliar os conhecimentos e a visão de mundo. 

5. Estimula as Conexões humanas e a Felicidade

Pesquisadores mundialmente renomados já comprovaram que a felicidade depende, fundamentalmente, da qualidade de conexões que você tem em seu cotidiano. Quando um vizinho empresta uma furadeira para o outro ou um grupo de amigos compartilha um carro, coisas mais profundas acontecem na psicologia humana. Isto é a Economia Colaborativa motivando os laços de confiança, as conexões humanas e a felicidade geral!
Você já percebeu isto na sua vida?

6. É uma alternativa viável para o mundo que queremos

Aos poucos, a Economia Colaborativa vai mudando os ambientes e possibilitando que as realidades locais se transformem, deixando o mundo cada vez mais próximo do que a maioria quer. O Banco Palmas, em Fortaleza, é um excelente exemplo disto. Há 20 anos a comunidade de lá estabeleceu a moeda social e aí tudo mudou! 
Você já conhecia esta história?

7. Está presente em vários segmentos

A Economia Colaborativa está presente em vários segmentos, desde solução para transporte (Uber, Cabify, Blablacar) até o compartilhamento de casas (Coliving, Couchsurfing, Airbnb) e gestão de museus (MAH Santa Cruz, Ofbyforall). 
Você sabe se ela também está presente no segmento que você atua?

8. Busca maior distribuição de renda e equalização das diferenças

Na Economia Colaborativa busca-se sempre o ganha-ganha, ou seja, a relação de troca deve ser boa para todos os envolvidos. Desta forma acontece maior distribuição de renda e equalização das diferenças entre as pessoas e isto faz muito sentido no momento de transição global que vivemos. 
Você já viveu uma relação ganha-ganha?

9. É o resultado do Mestrado em Economia para Transição

Este livro tem fundamentação construída e validada por uma das Universidades mais inovadoras do mundo: a Schumacher College. Felipe Cunha, o autor, realizou o Mestrado em Economia para a Transição lá e foi orientado por grandes mestres, desenvolveu sua dissertação que virou este livro. 
Ainda tem dúvida de que é um bom livro?

10. Conectado a renomados pesquisadores, inclusive Michael Bauwens

Felipe Cunha, autor deste livro, faz parte de comunidades que estudam futurologia e as tendências mundiais de comportamento e troca figurinhas com renomados pesquisadores da área da Economia Colaborativa, entre eles Michel Bauwens. 
Já viu aqui do lado? Michel Bauwens, Isabel Valle e Felipe Cunha durante o Colaboramerica 2018, RIO.

11. Escolha para consumo sustentável e regeneração do planeta

Participar de uma campanha de financiamento coletivo já é participar da Economia Colaborativa, pois inverte o raciocínio comum do mercado: primeiro perguntamos quem se interessa pelo livro para depois utilizar as várias fontes de energia para produzir o livro. Isto é Economia Circular. Isto é Economia Colaborativa. Isto faz diferença para o consumo dos recursos finitos que temos a disposição em nosso planeta.
Você está atento ao que consome?

12. Colaborar AGORA para gerar conhecimento para muitos

Participar de uma campanha de financiamento coletivo é participar da Economia Colaborativa e se juntar a um montão de gente que também acredita no que você acredita. Quando alcançarmos a meta da campanha, produzimos o livro e ele ficará disponível para que mais e mais pessoas tenham acesso a estas ideias. Colaborar para que ele seja publicado é possibilitar que estas reflexões se mantenham vivas. 
Vamos deixar este legado para as futuras gerações?

(Texto inspirado no original que foi publicado durante a campanha de financiamento coletivo para publicação do livro Economia Colaborativa, em setembro de 2018. A meta da campanha foi alcançada com cerca de 240 colaborações. Foram produzidos 1.000 exemplares, 480 destinados aos benfeitores e 32 a instituições.)

Voltar ao topo
Fale com a gente pelo Whatsapp